La figa

Outubro 1, 2009

Canto Vigésimo Quarto

A cona é uma teia de aranha
um funil de seda
o coração de todas as flores;
a cona é uma porta
que leva sabe-se lá onde
uma muralha
que se deve abater.

Há conas alegres
conas completamente loucas
conas espaçosas ou acanhadas,
conas de tostão e meio
bisbilhoteiras ou balbuciantes
e as que bocejam
sem dizer palavra
mesmo se as matas.

A cona é uma montanha
branca de doçura,
uma floresta onde lobos circulam,
a carroça que puxa os cavalos;
a cona é uma baleia vácua
plena de escuridão e pirilampos;
a algibeira do pássaro
sua touca de dormir,
um forno que tudo consome.

A cona no momento certo
é a face do Senhor,
a sua boca.

Pela cona nasceu
o mundo, com árvores, nuvens, o mar
e os homens, um de cada vez,
de todas as raças.
Da cona veio também a cona
Diabos levem a cona!

Tonino Guerra, O Mel (trad. do romagnolo de Mário Rui de Oliveira)

Anúncios

3 Responses to “La figa”


  1. uma imagem para acompanhar a leitura deste magnifico poema e excelente livro pode ser vista aqui stilb.blogspot.com (já sabes qual é Pedro)

  2. Belmiro Oliveira Says:

    Daniel, o livro é fenomenal. Por este poema não ser representativo do tom ou temas gerais, hesitei em postá-lo, mas como isso em nada diminui a qualidade dele (só altera a expectativa que possa criar quanto ao resto do livro), decidi-me a pô-lo aqui. Talvez transcreva aqui dois poemas do livro sobre árvores: aquele em que os pássaros parecem as folhas que a árvore já não tem, e outro em que os dois irmãos fazem soar os sinos do convento e as folhas vermelhas do outono se desprendem das árvores. Foram dois dos que mais gostei, na primeira leitura. Já agora, indique-me a imagem do blogue a que se refere.


  3. Belmiro, há mais dois livros de Tonino Guerra editados na Assirio&Alvim “Histórias para uma noite de Calmaria” e “O Livro das Igrejas Abandonadas” e ainda o pode ver por terras italianas no belíssimo doc. “Tempo de Viagem” um extra que vem na edição em DVD do filme “Nostalgia” do mestre Andrei Tarkovski. Se quiser continuar a trilhar o caminho leia os poemas de seu pai Arseni Tarkovski “8 ícones” e já agora de um Americano a “Antologia breve” de William Carlos Williams,ambos da Assirio.

    a imagem a que me refiro tem o título de “stilb life XIV – La figa” e pode ser encontrada no blog http://www.stilb.blogspot.com. Se gostar pode usar juntamente com o poema – desde que indique os créditos :)

    Boas leituras


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: