Pink sensation

Janeiro 30, 2009

2244135594_b7927aab12

“I’m the gay movement, and I’m here to recrute you!” (9/10)

Googling

Janeiro 30, 2009

É giro, ter onde descarregar bílis a bel-prazer, mas isso já era possível (blogues de outros, cartas para o jornal, gritar ocasionalmente no meio da rua ou em restaurantes); dá para divulgar umas coisas que se acha que merecem divulgação; é bom ter um sítio onde soltar umas piadas que ninguém parece achar piada nenhuma, o que pode ser outra piada; mas a única verdadeira razão para criar um blogue é ter acesso às pulsões profundas da população internauta.

conas rasgadas    25
lesbicasvelhas    3
morte de shakira    3
cabelos shakira    2
morte da shakira    2
morte shakira    2
invertida segundo dia de shakira’s new a    2
cabelo de shakira    2
shakira morte    1
gráficos de naperon e caminho em croche    1
pantufas de trico    1
luis aragones vai levar no cu    1
naperons de quarto com canto em croché    1
velhas que são lesbicas    1
naperons em crochet    1
precauções viagens lloret    1
homens que~parece mulher    1
chuck norris sinto-me com sorte    1

Esmiuçando este manancial de dados que as estatísticas de chegada ao blogue através de pesquisas nos fornecem, após uma primeira triagem (em que foram eliminadas pesquisas sem qualquer graça e outras correctas, que deram com o que queriam) detectamos logo quatro vectores principais: lesbianismo, a cantora colombiana, a arte da tricotagem, e genitália feminina dilacerada. Existem também alguns outliers, como as viagens a lloret, chuck norris e luis aragones.

Detendo-nos sobre as principais vias de acesso dos pesquisadores a este estaminé, conseguimos distinguir subtis categorias dentro de cada uma delas, excepto no que toca a genitália feminina dilacerada, um tema que não admite qualquer variação. No que toca a shakira, quer os cabelos quer a sua morte constituem motivos de interesse, não se detectando nenuma motivação no que toca ao seu físico espampanante. Algo vai mal. As lésbicas são, para os nosso leitores, de preferência velhas, embora se aceite travestismo. A tricotagem subdivide-se em crochet e “pantufas de trico”, que são pantufas muito similares a pantufas de tricô, mas feitas com uma agulha mais grossa.

Correcção: tinha, inadvertidamente, posto a mãe da Shakira a dar à luz a menina um país ao lado. Pelo lapso, lhes peço desculpa.

O alinhamento místico

Janeiro 29, 2009

Não sou grande fã de Astrologia; os seus axiomas e postulados não me convencem, nem me afecta a graciosa dança celeste entre planetas, estrelas, satélites, lixo espacial. Não me apraz minimamente ver a Pomba Gira a dançar kuduro de fio dental tigresa, ou de ouvir o Prof. Bambo às 2h da manhã na Roman FM, a cozinhar mezinhas para as suas ouvintes pré-menopausicas. Consta nos astros, nos signos, nos búzios, garantem os orixás, mas, confesso, prefiro confiar as decisões mais importantes da minha vida ao Borda d’Água.

Contudo, meus amigos, sistema completamente infalível é aquele que consiste em reunir à volta da constelação das 5 estrelas (das 4 também, que perfeito perfeito só mesmo o Sócrates) os quatro críticos do Público. Da última vez que assistimos a este fenómeno, estreava nas salas de cinemas “Cartas de Iwo Jima” do Eastwood. Na penúltima, “Million Dollar Baby”, do mesmo realizador, fazia a sua entrada no Hall of Fame da 7ª arte. Foi assim que, para as duas obras primas da última década, os “quatro implacáveis” se renderam prostrados de alma e coração à grandeza do cinema.

Meus irmãos, o imprevisto voltou a acontecer! “Milk”, fruto da arte e engenho de Gus Van Sant, teve agora essa honra. Não me vou adiantar a declará-lo a apoteose cinematográfica do ano (pelo menos enquanto não o vir). Mas os indícios para que isso aconteça estão bem escarrapachados na matriz da crítica do P2. Danem-se os astros, os autos, os signos, os dogmas, os búzios, as bulas, anúncios, tratados, ciganas, projetos, profetas, sinopses, espelhos, conselhos, se dane o evangelho e todos os orixás*, se isso não for verdade.

* “Dueto” de Chico Buarque

Férias

Janeiro 29, 2009

Comer três episódios de Seinfeld enquanto vejo o pequeno almoço.

It’s A Revelation

Janeiro 28, 2009

Este artigo do Rui Tavares não foi uma revelação para mim (essa aconteceu num concerto da tour do Mysterious Production of Eggs na Casa das Artes de Famalicão, há alguns anos atrás, a que fui porque 5€ (ou 7,5€, a memória divide-se como a doutrina) me parecia um preço muito competitivo para um concerto de um violinista-guitarrista-assobiador-xilofonista americano de quem nunca tinha ouvido falar. E era mesmo um preço competitivo: por ele comprei algumas surpresas e memórias [nunca tinha visto pedais de loops, nem um tipo a tocar violino como uma guitarra, e a dar um concerto descalço, só com umas meias às risquinhas], e a possibilidade, que não aproveitei, de uma conversa com Andrew Bird enquanto ele, ainda de meias às risquinhas, autografava discos.), mas pode ser uma revelação para os não-iniciados nos musicais voos de Andrew Bird.

Não sei o quê que estás aqui a fazer, a perder tempo com isto.

Vicky Cristina Barcelona

Isto está a acontecer num cinema perto de ti.

Laranja doce tem de ter a casca fina. O amor do homem é uma menina.

Uma menina tem de saber a pimenta. O amor do homem é a ferramenta.

A ferramenta tem de estar bem afiada. O amor do homem é a marmelada

A marmelada tem de ser feita na praia. O amor do homem é debaixo da saia.

Debaixo da saia está um bicho cabeludo. O amor do homem é enterrar tudo.

Enterrar tudo é o que está na moda. Esta é tão fácil que por mim fica só a intenção.

Reminiscências de uma liberdade há muito perdida.